PistonCzar Spot

Janeiro 29, 2008

Telhadela SA – Os dois irmãos e o vizinho

Filed under: Telhadela SA — pistonczar @ 9:05 pm

103.jpg 

Na esteira de histórias famosíssimas que tratam de “alguma coisa” e “outra coisa” (por ordem crescente de importância: “Romeu” e “Julieta”, “Ali Babá” e “os 40 ladrões” e, sem dúvida o mais sonante, “Três homens” e “um bébé”), trago-vos hoje (ontem) uma história em que “alguma coisa” são dois irmãos e “outra coisa” é o seu vizinho.

Para proteger devidamente a identidade dos visados usarei nomes genéricos como Irmão A, Irmão B e Vizinho.

Era uma vez, numa terra fabulosa com o nome poético de Telhadela, dois irmãos e um vizinho que brincavam no jardim em frente de sua casa num ameno dia de Verão. Estas 3 pessoas brincavam a um jogo inofensivo e que poderia ser pomposa e justamente designado como “Assassinato em série com uma arma de pressão de ar”. O que aconteceu foi o mais previsível, foi que a arma tinha um chumbo (nenhum dos 3 intervenientes tinha conhecimento disso… julgo eu!) e quando o Irmão A a apontou para o Irmão B e disparou, o chumbo acertou-lhe em cheio e a escassos milímetros de um dos olhos (não se pode criticar o Irmão A por falta de pontaria…). O vizinho, que assistiu a isto enquanto esperava pela sua vez de jogar, exclamou de imediato: “Ó Bruno! Tu mataste o teu irmão!”. O Irmão A assustado com a possibilidade de vir a ser julgado e preso por homicídio em primeiro grau (ainda por cima com testemunhas…) tentou resolver a situação dizendo “Ó João! Não digas nada à mãe!” ao seu irmão que estava a rebolar no chão agarrado a um dos olhos. O Irmão A, depois de recuperado o seu discernimento, diz para o seu vizinho: “Ó Bruno! Anda aqui ajudar!”.

Esta história acabou por não resultar em mais do que uma história para ser contada num blog de boa disposição, pelo que espero que os seu irtervenientes não venham atrás de mim com a famigerada arma de chumbos (só que desta vez com o conhecimento da existência de chumbo na arma).

Agradeço ao Irmão A por me ter contado esta história com uma inexcedível representação cómica e peço-lhe desculpa por reproduzi-la aqui com muito menos graça.

Create a free website or blog at WordPress.com.