PistonCzar Spot

Janeiro 7, 2008

Telhadela SA – O Mamífero Hipomorfo

Filed under: Telhadela SA — pistonczar @ 8:10 pm

90.jpg 

Já repararam no título de hoje? Tenho mesmo muito orgulhe nele. Sabiam que o cavalo é um mamífero hipomorfo? Eu sim. Nhã Nhã Nhã Nhã. (O ilustre leitor não está a ver, mas neste momento eu tenho as mãos abertas atrás das orelhas e tenho a língua de fora. Pergunta pertinente: “Com que é que eu estou a escrever no teclado?”. Resposta indecente: “Use a sua imaginação meu caro leitor!…”)

Hoje volto a referir-me a Telhadela SA e volta a não ser pelas melhores razões. Parece que está de volta a folha de necrologia de Telhadela. Isto porque apesar de eu gostar bastante de ser visitado por pessoas em idade jovem, acho que devo tentar atingir novas faixas etárias. Quero tornar este blog algo global. Para se lido – e tido como útil a provocar o vómito – a pessoas dos 8 meses aos 108 anos. Podem ter a certeza que não fico feliz com menos.

Por esta altura já o meu caro leitor deverá estar a levar as mãos à cabeça exclamando com desdém: “Este gajo parece a secção de necrologia do JN.” Pois bem meu caro leitor, desde já lhe digo que essas páginas do jornal merecem a atenção especial de muitas pessoas, especialmente aquelas mais idosas, que ao verificar a idade do falecido dizem invariavelmente: “Ahh! Era tão novo!”, tivesse o defunto em questão 50 ou 75 anos. Realmente há coisas que eu não consigo entender. Terei mesmo que esperar pela maturidade para poder ver o inacreditável interesse da necrologia (acreditem que agora é absolutamente inacreditável…). Se calhar aquilo até é interessante. É possível que eu próprio seja um dia um ancião que lê com a atenção a necrologia. O que é claramente possível, uma vez que para ser um dia um ancião, basta-me não fazer nada de realmente estúpido até lá chegar (tipo morrer, etc.).

Faleceu recentemente o eterno proprietário do cavalo de Telhadela. Ultimamente já não era uma gaboso proprietário de um lustroso equídeo, estando antes remetido a um lar de idosos. O que é muito mau, uma vez que na sua casa própria tinha uma divisão que se pode chamar principal – a cozinha – uma vez que albergava não apenas os utensílios que todos nos guardamos numa cozinha: pratos, garfos, facas, podões, foicinhas (nestas a opinião divide-se, mas é minha convicção que o lugar das foicinhas é na cozinha) até enxadas, forquilhas, bem como outras pequenas alfaias agrícolas. Não se escandalizem já com tudo isto, há uma muito boa razão para que este senhor guarde todos estes objectos na cozinha: assim sabe sempre onde eles estão. Nunca lhe irá acontecer aquela situação verdadeiramente embaraçosa que é perguntarem-lhe onde é que ele guardou a sachola e ele não saber se há-de responder alpendre ou cozinha. É um bom método quanto a mim.

Não tenho a certeza que a malta do lar o tenha deixado levar as machadas para o quarto. Ainda gostava de saber como foi quando lhe perguntaram pelas machadas. É que, ainda por cima, esta é uma das perguntas que a malta do lar está sempre a fazer. São mesmo sacanas!!!

Create a free website or blog at WordPress.com.