PistonCzar Spot

Setembro 28, 2007

Por aí – A miséria laranja

Filed under: Por aí — pistonczar @ 9:03 pm

35.jpg

Como tenho tido muitas visitas a esta minha propriedade internética, resolvi combater isso. E qual é a melhor forma de afugentar as pessoas? A melhor forma de o conseguir é, sem dúvida, falar de política. Se o Marcelo Rebelo de Sousa o faz, porque não hei-de eu fazê-lo? O que é que eu sou menos que ele? Sou, sem dúvida, menos ssssopinha de massssssa. Mas talvez isso seja uma vantagem minha em relação ao Marcelo. Agora que penso nisso, acho que o Marcelo devia era estar calado. Todos nós sabemos – pelo menos os que não têm memória de peixe, que matéria de líder o compõe.

Indo ao que interessa, hoje são as eleições que decidem o canditato que o PPD-PSD irá apresentar em 2009 para concorrer contra Sócrates. Canditado derrotado por Sócrates, bem entendido.

A verdade é que o PSD não me diz directamente respeito, mas ainda assim acho péssimo que o maior partido da oposição apresente dois luíses miseráveis candidatos para os liderar até 2009. O inábil Mendes e o habilidoso Menezes. Não sei com qualquer deles irão melhor servidos. Mas garanto que com qualquer um destes, o PSD não mudará o seu estatuto de oposição para governo, podendo apenas deixar de ser o maior da oposição. 

A política é realmente um local onde se juntam dos piores da sociedade. E o mais estranho é que são os piores de entre os piores que chegam mais alto. Deve ser um pré-requisito.

A política é um campo com implicações directas na vida de todos e de cada um de nós, mas apesar disso parece cada vez mais votada ao desinteresse geral. Será que faz sentido? Fica a questão.

Setembro 27, 2007

Telhadela SA – A Mimosa

Filed under: Telhadela SA — pistonczar @ 8:48 pm

33.jpg

A mimosa, tal como toda a gente sabe, é uma espécie da família das acácias, de seu nome Acacia Dealbata. Esta árvore é originária do continente australiano e o seu crescimento é bastante rápido. É uma espécie bastante resistente e desenvolve-se facilmente em diversos ambientes.

A Mimosa é, e isto é que muita gente não sabe, também uma marca de produtos lácteos. A história que trago hoje é exemplo disso mesmo.

Na minha infância, num dia solarengo de Verão, apeteceu-me um gelado. Para saciar este desejo, fui à Rosita – um dos mini-mercados de Telhadela – para comprar o dito gelado. Não me lembro, mas devo ter comprado um pé. Na altura era feetichista convicto. Este era um gelado que tinha a forma de um pé e sabor a morango. Sinto mesmo muito a falta deles agora que desapareceram.

Enquanto aguardava a minha vez para ser atentido, estava lá um senhor disposto a comprar iogurtes para alimentar os seus filhos. Não sabendo a preferência dos filhos deste indivíduo, a Rosita questionou-o: “Queres iogurtes da Mimosa ou Longa-Vida?”. Ao que o sujeito respondeu: “Dá-me antes de banana e morango que os meus filhos gostam mais”.

São estas histórias que fazem a história. Esta é uma família bastante prolixa em histórias, que eu irei relatar em oportunidades posteriores.

Setembro 26, 2007

Injustiças – A minha vida

Filed under: Injustiças — pistonczar @ 8:12 am

A minha vida é injusta. Não na sua totalidade, mas partes significativas. E o dia de ontem foi um dia de profundas revelações.

Ontem estes senhores actuaram em Portugal (mas com cabelos menos ridículos…) :

29.jpg

E eu não fui ao concerto. É bastante injusto o preço dos bilhetes (€55-€95). Por esse dinheiro também eu cantava! Como consolação por não ter ido, estive a ouvir uma coletânea de êxitos dos Police, duma daquelas editoras que escrevem o nome da banda e do album a caneta de feltro azul no CD, que tem uma aparência muito semelhante à de um CD virgem.

Ontem comi uma francesinha que não foi esta:

30.jpg 

E com muita pena minha. Se ela soubesse o tamanho da pena… Ao invés, calhou-me uma daquelas fracesinhas com salsisha.

Regressei a casa depois de um árduo dia de trabalho, num automóvel que não este:

32.jpg

Chegado a casa, esperava jantar e ter uma descansada noite de sono. O plano voltou a sair-me furado. Calhou-me uma luxuosa noite de insónia. Ainda bem que tive a companhia de um bom livro.

Como resultado de tudo isso, especialmente a noite de insónia, hoje já estou a trabalhar a esta hora perfeitamente ridícula (São 8h00). Almejo com isso um dia ter convites VIP para os concertos dos Police, gozar da companhia da Sophie Marceau e conduzir um Porsche 365. Aposto que quando chegar a tal ponto da minha existência, não terei insónias. Mas casos as tenha, serão concerteza mais interessantes.

Setembro 25, 2007

Telhadela SA – O nadador-afogador

Filed under: Telhadela SA — pistonczar @ 6:31 pm

 

É este o aspecto do nadador-afogador de Telhadela. Ninguém sabe, mas a famosa série norte-americana “Baywatch” foi completamente inspirada neste indivíduo. Julgo até que nem os criadores da série desconfiam deste facto. 

Foi mais um capítulo de Telhadela SA. Passar bem.

 

Ai querem mais? Pois aqui vai disto!

Na verdade, o aspecto do nadador-afogador não é bem este. Mas claramente esta miúda só teria a ganhar se se parecece com o nadador-afogador de Telhadela.

Localizada no tempo, esta história é passada em tempos idos (mas não muito…), na escola primária de Telhadela. Esta escola está localizada bem perto do Rio Pequeno, já citado anteriormente num post deste blog, mas que devido a um processo de autocensura optei por retirar.

Naquele tempo, durante o recreio da escola, as crianças cavavam os canteiros da escola, lavavam as casas-de-banho – que eram turcas, o que evitava completamente qualquer vontade da minha parte de lá entrar, e para além disso ainda plantavam as couves da professora. Só não faziam a higiene íntima da professora, porque ela, tal como qualquer criatura superior, tinha uma espécie de aura repelente a todo o tipo de imundice. Com todos estes afazeres ainda lhes sobrava tempo precioso para brincar no rio.

Voltando ao nadador-afogador, ele era uma criança bastante revoltada com tudo o que se passava à sua volta, nomeadamente o Salazar no poder e assim. E vai daí, de vez em quando batia na professora, sendo ela a face mais visível do regime vigente, apenas para desopilar as suas revoltas. A professora, não podendo fazer direito dele, por vezes optava por chamar a polícia. Chegados ao local, as autoridades perguntavam quem seria o meliante, ao que o nosso nadador-afogador respondia convictamente: “Sou eu. Porquê caralho?”

Para além de uma relação arrevesada com a professora, o nadador-afogador era o primeiro nas brincadeiras no rio. Antes de prosseguir, convém esclarecer que nadador-afogador não é um nome completamente justo. O nome mais justo para esta personagem seria afogador-nadador-salvador, segundo o cronologia dos factos ocorridos. O modus operandi deste indivíduo consistia empurrar cada um dos colegas para o rio, correndo depois para o socorrer, afirmando solenemente: “Mais um que eu salvei!”.

Apesar de não morar actualmente em Telhadela, o nadador-afogador fará para sempre parte da sua mitologia.

Setembro 24, 2007

Inquietações – Tuning e os cornetos de morango

Filed under: Inquietações — pistonczar @ 7:09 pm

Acho inquietante a existência de carros tuning. E cornetos de morango. Igualmente inquietante. A razão é simples: não vejo qualquer utilidade para nenhum deles.

Acho até piada àqueles indivíduos que se gabam de ter um corneto de morango especial só porque não há mais nenhum que seja igual ao deles. A minha resposta para esta malta é que independentemente do corneto que têm, eles são já “especiais”. Especiais no sentido em que deveriam frequentar instituições especialmente concebidas para pessoas “especiais”. Daquelas casas de acolhimento especiais com rebordos e arestas completamente revestidos, divisórias completamente brancas e especiais, e que vestem uns bibes esquisitos e especiais aos hóspedes especiais. Os bibes destas instituições especiais são completamente brancos e parece-me que o corte foi especialmente inspirado no corpo de um chimpanzé especial, tal é o comprimento das mangas. Devido a este erro de costura, as mangas ficam tão exageradamente grandes, que é necessário amarrá-las atrás das costas para que o indivíduo especial não tropece.

E é esta a minha opinião acerca do tuning e dos cornetos de morango. Porque é que eu não escolho o caminho mais fácil para emitir a minha opinião? Bem, porque esse caminho seria bastante mais óbvio e claramente menos divertido.

Setembro 21, 2007

Indignação – Morte aos Informáticos

Filed under: Injustiças — pistonczar @ 7:56 pm

 

Hoje esta pocilga não funcionou bem o dia todo! Tinha o post escrito e por obra de algum espírito invisível isto foi tudo abaixo. Raisparta os informáticos. Deus nosso Senhor lhes dê uma morte lenta e dolorosa.

Agora vou embora. E vou com esta cara. Barba por fazer e tudo.

P.S.: Numa breve revista às páginas da imprensa britânica, reparo que os assuntos lá tratados são os portugueses que trabalhavam em Inglaterra e agora vêm de lá com uma choruda indemnização e os ingleses que perdem as filhas em Portugal. Será que nessa ilha da chuva não há nada que aconteça aos ingleses? Fica a questão.

Setembro 20, 2007

Telhadela SA – Reborn

Filed under: Telhadela SA — pistonczar @ 8:24 pm

24.jpg

Cá estou eu de novo. Desta vez para dar conta que vou continuar a publicar magníficas histórias da maravilhosa aldeia que por acaso feliz do destino tivemos a sorte que fosse a nossa. No entanto, a partir daqui não vou escrever de uma forma tão desabrida e vou evitar sempre que possível referências aos nomes próprios das pessoas visadas. Realço no entanto que nunca foi minha intenção ofender ou magoar nenhuma das pessoas sobre as quais escrevi. Na verdade escrevi sobre elas porque lhes reconheci algum motivo de interesse. E isso parecer-me-á sempre um elogio da minha parte.

E agora para que fique claro que também escrevo algumas histórias das quais faço parte como personagem, vou descrever a montagem de determinado equipamento de casa de banho (não me lembro de qual mas também não é de modo algum relevante) na companhia do meu pai. Antes de mais devo realçar que o meu pai tem uma linguagem composta por termos bastante portugueses, os quais infelizmente não são reproduzidos na missa dominical. Nunca percebi porquê…

Estava o meu pai a preparar-se para apertar um parafuso que fixava o dito equipamento à parede, quando esse parafuso cai e miraculosamente se enfia pelo ralo abaixo. Vai daí o meu pai já com os olhos raiados de sangue, aponta para o ralo e grita para o parafuso: “Também te vais foder que vais para a merda! E nunca mais de lá sais!”

Repararam na diferença? Perante um milagre o meu pai reage com esta frase espantosa, enquanto que na missa se reage com um insípido “Aleluia e tal…”. Realmente a Igreja tem muito por onde melhorar.

Nunca soube se o parafuso ouviu. Nunca mais o vi. Espero no entanto que se tenha apercebido da asneira que fez. Realmente há melhores sítios para estar que a merda.

E com um pai assim vivi eu a minha infâcia. Haverá melhor forma de a viver? Duvido.

Setembro 19, 2007

Injustiças – Dor de dentes

Filed under: Injustiças — pistonczar @ 7:44 pm

23.jpg

Pela primeira vez na vida, hoje doem-me os dentes. Merda!!!

Setembro 18, 2007

Telhadela SA – A reflexão

Filed under: Telhadela SA — pistonczar @ 8:41 pm

22.jpg 

Algo de inquietante se passa neste estaminé. Nos últimos dias houve uma avalanche de visitas que me deixou perplexo. Em primeiro lugar porque não vejo razões sequer para haverem visitas, quanto mais para haverem muitas visitas. Não sei realmente o que se passou. Talvez os meus leitores – que têm sido muitos – me queiram explicar. Podem fazê-lo através de comentários a este post.

Isto de escrever no blog era tudo muito bonito enquanto eu escrevia para poucas pessoas, sendo que muitas delas não faziam ideia das pessoas que eram visadas nos posts. Agora que tenho muitos mais leitores as coisas tornaram-se mais complicadas. É que na verdade eu sinto-me muito mais á-vontade para falar das pessoas sem elas saberem. Presumo que o meu vasto auditório sinta da mesma forma.

Esta euforia de visitas levou-me a repensar a política editorial, principalmente porque me parece que as pessoas que aqui são visadas não acharão muita piada às referências que lhe são feitas. Outra preocupação (mais importante…) que me atravessa a mente é o facto de pessoas zangadas e os meus dentes na minha boca não combinarem, pelo que essas pessoas zangadas poderão ter vontade de mos retirar da boca com ajuda de uma marreta. Ou num caso mais extremo, essas mesmas pessoas zangadas, acharem que eu mesmo sendo a pessoa mais bonita do Universo ficaria ainda melhor com um buraco de bala na testa. E depois como é que eu iria viver? Não me parece nada confortável viver com um buraco de bala na testa. Era coisa para causar uma corrente de ar bastante chata.

Ainda não tenho a certeza se valerá a pena continuar a escrever aqui histórias que me poderão complicar a vida real. Vou decidir isso, mas ainda assim posso garantir que não defraudarei os meus visitantes. Acrescento ainda que todas as opiniões serão bem vindas. Quinta-feira terão novidades sobre “Telhadela SA”. Até lá.

Setembro 17, 2007

Inquietações – Darwin e os urinóis

Filed under: Inquietações — pistonczar @ 8:10 pm

20.jpg 

Antes de mais quero realçar que para mim é já uma vitória conseguir incluir a palavra “urinóis” no título deste post, vitória essa ainda mais realçada pela imagem que o ilustra.

Algo de inquietante se passa nas casas de banho. Ao ponto de pôr em causa a teoria de Darwin da evolução das espécies. Especialmente aquela parte de que os serem humanos evoluiram directamente dos macaquinhos e transformaram-se naquilo que são hoje.

A razão da minha inquietação é a seguinte: malta que vai urinar e não abre a água, deixando por toda a casa de banho um leve aroma a “maresia”. É daqui que surge a minha dúvida quanto à teoria de Darwin: eu acho que esta malta descende directamente de felídeos ou canídeos, esses sim habituados a deixar a sua marca através do cheiro da urina. A menos que haja uma variedade de macacos mijões que escape ao meu conhecimento. Experimentei googlar “macaco mijão” e nenhum dos resultados foi satisfatório. Portanto, senhor Darwin, reveja a sua teoria rapidamente, de modo a ter em conta esta malta (que ela merece…). Acho até que esta falha na sua teoria deveria ser motivo para chamar à atenção ao senhor Darwin para dois claros desleixos: primeiro o de não incluir esta malta na sua teoria, e o segundo – mais grave – não ir à casa de banho, já que é a única forma de não se aperceber deste facto. Realmente está na hora de rever esses comportamentos senhor Darwin!

Aceito, no entanto, outra teoria formulada por Darwin: a de que a evolução das espécias se desenvolve de forma semelhante à de uma árvore. Realmente há ramos de diferentes tamanhos, sendo que alguns deles nem chegam a emergir do tronco.

Página seguinte »

Site no WordPress.com.