PistonCzar Spot

Agosto 31, 2007

Sexo com colegiais

Filed under: Miscelânea — pistonczar @ 8:29 pm

07.jpg 

Novamente sexta-feira. Faz hoje uma semana que comecei a escrever neste blog. Pela primeira vez experimentei googlar a expressão “pistonczar”. Apareceram apenas 2 registos. Fui ver as estísticas do blog e verifiquei que não tinha aparecido em pesquisas de outros cibernautas. Pus-me a pensar na melhor maneira de fazer com que aparecesse. Surgiu-me uma ideia luminosa: escrever repetidamente palavras que sejam objecto de maior interesse. Daí o título deste post e do resto do texto que se segue, que é uma adaptação livre e pelo meu punho de uma famosa canção de José Cid:

Foder Como Cicciolina Fodeu

Um dia uma colegial me chamou
Olhou-me nos meus olhos e sorriu 
Blusa e saia logo no chão
Tarefa escolar para cumprir

E perguntou no meio de um sorriso
O que é preciso para ser feliz 

Foder como Cicciolina fodeu
Chupar como Cicciolina chupou 
Abrir as pernas como Cicciolina abriu 
Engolir como Cicciolina engoliu

Sentir o que Cicciolina sentia
Sorrir como Cicciolina sorria
E ao chegar ao fim do dia eu sei
Que dormiria muito mais feliz

Ouvindo atentamente ela me olhou
E disse que era lindo o que eu falei
Pediu que eu repetisse por favor
Que não dissesse tudo de uma vez

Foder como Cicciolina fodeu
Chupar como Cicciolina chupou 
Abrir as pernas como Cicciolina abriu 
Engolir como Cicciolina engoliu

Sentir o que Cicciolina sentia
Sorrir como Cicciolina sorria
E ao chegar ao fim do dia eu sei
Que dormiria muito mais feliz

Depois que eu acabei de repetir
Seus olhos não saíam do papel
Toquei na sua cara e a sorrir
Pedi que ao transmitir fosse fiel
E ela deu-me um beijo demorado na glande e
a meu lado foi cantando assim 

Foder como Cicciolina fodeu
Chupar como Cicciolina chupou 
Abrir as pernas como Cicciolina abriu 
Engolir como Cicciolina engoliu

Sentir o que Cicciolina sentia
Sorrir como Cicciolina sorria
E ao chegar ao fim do dia eu sei
Que dormiria muito mais feliz

Estava indeciso entre o material clássico (a Cicciolina) e algo mais modernaço (do tipo Pamela Anderson ou Jenna Jameson). Acabei por me decidir pelo modelo mais clássico (tal como a musiquinha que serviu de base!!!), com o compromisso de referir três vezes os nomes de pornstars mais actuais, como uma Pamela Anderson ou uma Jena Jameson. Na verdade, o curriculum político também foi importante, já que nem a Pamela Anderson nem a Jenna Jameson têm qualquer experiência nesse campo. Apesar de terem experiências em muitos outros campos (eu sei… oh se sei!!!). Compromisso cumprido!

Peço desculpa às pessoas mais sensíveis pela alta cultura e elevação intelectual expressa neste post. Agora devo aparecer em maior número de pesquisas em motores de busca. Assim seja.

Anúncios

Agosto 29, 2007

Injustiças – Carlos Paião 19 anos depois

Filed under: Injustiças — pistonczar @ 6:22 pm

05.jpg

No passado dia 26 cumpriram-se 19 anos sobre o falecimento de Carlos Paião. É assim que deverá estar depois destes anos todos.

Acho que que a história foi muito injusta para com ele. Foi um dos compositores portugueses mais prolíficos, sendo grande parte das suas composições muito boa. Escrevia sobre absolutamente tudo deste mãos a combóios, nunca caindo na facilidade de escrever sobre amores perdidos ou sonhos de meninos, sendo que aparentemente tudo lhe saía bem. Compunha com alegria sobre a alegria. Paradigma dessa alegria é a minha canção favorita dele, cantada a meias com Herman José:

“Prás sogras que encontrei na vida”

Prás sogras que encontrei na vida
Atrás da sua filha querida
Cá do meu coração
Dedico esta canção
Às sogras que aturei na vida

As sogras que na vida tive
Não sei se alguma sobrevive
Aquela em que bati
A outra em que mordi
Eram piores que Deus me livre

As ricas sogras que a mim calharam
Deram-me um galo que eu sei lá
Foram as sobras que prái restaram
Das boas sogras que acho que ainda há

Ter uma sogra sempre ao lado
É bem pior que ser multado
Tive uma que acordava
De noite então gritava
Mais surda que um pneu furado

Prás sogras nunca fui bem vindo
Dizem que eu sou um ganda índio
Uma até fez macumba
E outra catrapumba
Partiu-me o meu nariz sorrindo

Quantas pessoas tem uma família
E a sogra logo é a mãe delas
Se ao menos fossem peça de mobília
Iam fora pela janela

Deram-me cabo das finanças
Gozavam com as minhas tranças
Mandavam-me prá tropa
Punham moscas na sopa
Nem falavam sobre heranças

Mas pra que é que as noivas trazem mãe?
Defeitos já a filha tem
Mas um dia hás-de ver
Que a filha ainda vai ser
Tão sogra como a mãe

Se é verdade o mito que a justiça tarda mas não falha, Carlos Paião será concerteza elevado a ícone da música portuguesa que é esse afinal o seu lugar por direito próprio.

É nestas alturas que tenho vontade de acreditar no princípio budista da permanência das almas na vida terrena. O mundo com a alma de Carlos Paião será concerteza um mundo mais feliz, nem que essa alma esteja alojada no corpo dum verme.

Agosto 24, 2007

Porquê um Blog

Filed under: Miscelânea — pistonczar @ 4:14 pm

Na verdade não sei bem. Porém posso apontar algumas razões: começando pela mais óbvia, o estar em frente a um PC num dia de sol radiante, depois o facto de ser o último dia da minha primeira semana depois das férias (como é difícil!) e por fim por não me apetecer trabalhar.

Não quis começar pelo primeiro post do blog, daí que tenha começado pelo segundo. Não há dúvida que é mais fácil. Para além disso, o primeiro post define de forma decisiva todos os que seguem (ou talvez não…).

Para ser sincero, esta passagem do Livro dos Génesis não está completamente a despropósito do contexto deste blog e não está concerteza desfasado da realidade do dia de hoje. Também eu trabalho durante uma semana (que agora está agradavelmente reduzida a 5 dias) para no fim poder descansar de toda esta canseira.

E bom, e tal como diz o povão: no dia de S. Bartolomeu toda a gente vai embora cedo, inclusivamente eu. Rima e é verdade.

Tenho dito. 

PistonCzar – O Princípio

Filed under: Miscelânea — pistonczar @ 9:57 am

 01.jpg

1  No princípio criou Deus os céus e a terra.
2  E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas.
3  E disse Deus: Haja luz; e houve luz.
4  E viu Deus que era boa a luz; e fez Deus separaçäo entre a luz e as trevas.
5  E Deus chamou à luz Dia; e às trevas chamou Noite. E foi a tarde e a manhä, o dia primeiro.
6  E disse Deus: Haja uma expansäo no meio das águas, e haja separaçäo entre águas e águas.
7  E fez Deus a expansäo, e fez separaçäo entre as águas que estavam debaixo da expansäo e as águas que estavam sobre a expansäo; e assim foi.
8  E chamou Deus à expansäo Céus, e foi a tarde e a manhä, o dia segundo.
9  E disse Deus: Ajuntem-se as águas debaixo dos céus num lugar; e apareça a porçäo seca; e assim foi.
10  E chamou Deus à porçäo seca Terra; e ao ajuntamento das águas chamou Mares; e viu Deus que era bom.
11  E disse Deus: Produza a terra erva verde, erva que dê semente, árvore frutífera que dê fruto segundo a sua espécie, cuja semente está nela sobre a terra; e assim foi.
12  E a terra produziu erva, erva dando semente conforme a sua espécie, e a árvore frutífera, cuja semente está nela conforme a sua espécie; e viu Deus que era bom.
13  E foi a tarde e a manhä, o dia terceiro.
14  E disse Deus: Haja luminares na expansäo dos céus, para haver separaçäo entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais e para tempos determinados e para dias e anos.
15  E sejam para luminares na expansäo dos céus, para iluminar a terra; e assim foi.
16  E fez Deus os dois grandes luminares: o luminar maior para governar o dia, e o luminar menor para governar a noite; e fez as estrelas.
17  E Deus os pós na expansäo dos céus para iluminar a terra,
18  E para governar o dia e a noite, e para fazer separaçäo entre a luz e as trevas; e viu Deus que era bom.
19  E foi a tarde e a manhä, o dia quarto.
20  E disse Deus: Produzam as águas abundantemente répteis de alma vivente; e voem as aves sobre a face da expansäo dos céus.
21  E Deus criou as grandes baleias, e todo o réptil de alma vivente que as águas abundantemente produziram conforme as suas espécies; e toda a ave de asas conforme a sua espécie; e viu Deus que era bom.
22  E Deus os abençoou, dizendo: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei as águas nos mares; e as aves se multipliquem na terra.
23  E foi a tarde e a manhä, o dia quinto.
24  E disse Deus: Produza a terra alma vivente conforme a sua espécie; gado, e répteis e feras da terra conforme a sua espécie; e assim foi.
25  E fez Deus as feras da terra conforme a sua espécie, e o gado conforme a sua espécie, e todo o réptil da terra conforme a sua espécie; e viu Deus que era bom.
26  E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra.
27  E criou Deus o homem à sua imagem: à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.
28  E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra.
29  E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda a erva que dê semente, que está sobre a face de toda a terra; e toda a árvore, em que há fruto que dê semente, servos-á para mantimento.
30  E a todo o animal da terra, e a toda a ave dos céus, e a todo o réptil da terra, em que há alma vivente, toda a erva verde será para mantimento; e assim foi.
31  E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom; e foi a tarde e a manhä, o dia sexto.

in Livro dos Genesis 

Create a free website or blog at WordPress.com.